29 de abr de 2011

ProCicloviasPG em Blumenau

Nos dias 22 e 23 de abril estivemos em Blumenau para conhecer a estrutura cicloviária daquela cidade.

Fomos muito bem recebidos pelo Carlos Roberto da ABC - Associação Blumenauense Pró-Ciclovias - que nos mostrou várias áreas cicláveis e a situação das ciclovias, ciclofaixas, bicicletários e outras partes da estrutura (fotos abaixo). Trocamos ideias e pensamos que podemos aprender muito com a experiência de outras cidades nesta área. Algo que ficou claro é que Blumenau também tem topografia acidentada (morros) mas isso não impede a construção de ciclovias. Circulamos por uma ciclofaixa ladeira acima que exigiu "pernas de pontagrossense" para ser vencida.

A ABC existe há 17 (http://www.abciclovias.com.br) anos e durante esse tempo vem trabalhando para melhorar as condições de uso da bicicleta em Blumenau. Sendo uma associação reconhecida, a ABC mantém presença formal nas reuniões de grupos e conselhos locais sobre mobilidade. Uma semelhança com Ponta Grossa: o poder público (legislativo e executivo) sempre deve ser pressionado pela população para realizar os projetos que a população precisa - muda a cidade, mas isso não muda. Afinal o nível da cidadania observado em alguns locais do Brasil (e do mundo) não vem da bondade e compreensão dos políticos, mas sim da participação ativa da população que aprendeu a exigir os seus direitos.

Em nossas conversas com o Carlos ele nos contou que nos anos 80 Blumenau tomou a decisão de reduzir as vagas de estacionamento no centro da cidade. Como pode ser imaginado, o comércio manifestou fúria dizendo que todos iriam falir (qualquer semelhança com nossa cidade não é coincidência). Mesmo assim, nos últimos 20 ou 25 anos houve uma redução de até 60% no número de vagas para estacionamento. Este espaço foi transformado, não em mais faixas para carros, mas em calçadas mais largas para a população. Assim o comércio, de fato, ganhou pois as pessoas circulam mais vagarosamente que os carros e tendem a entrar mais nas lojas, parar para lanches, etc. Imagine se dentro do shopping Palladium as pessoas circulassem com pequenos carrinhos de golf. Quem iria parar nas lojas? Elas iriam direto para o cinema, praça da alimentação e dali de volta imediatamete para a saída. O shopping é tão bom para os lojistas justamente porque as pessoas andam à pé em frente às lojas e têm tempo para ver vitrines. A redução do número de vagas de estacionamento no centro, e um maior número de calçadões, só poderá ter o efeito de favorecer o comércio. À propósito, quando nos anos 70 a cidade dinamarquesa de Copenhagen resolveu reduzir as vagas para carros e alargar as calçadas, os lojistas de lá também disseram que todos iriam falir. Obviamente ocorreu o contrário: Copenhagem hoje é referência de respeito ao ciclista e pedestre e o comércio cresceu. Isso não ocorreu por acaso, foi uma decisão séria e consciente.

Pensamos que podemos estabelecer um diálogo cooperativo com outras instituições ligadas à questões de mobilidade urbana para o benefíco de todos os pontagrossenses, sejam os que pedalam, usam os ônibus, andam à pé e também os motoristas dos carros, já que ao final todos, sem exceção, irão ganhar com um sistema viário mais moderno, adequado e seguro.

Carlos, Fátima, casal ciclista e Cloter
Cicliovia - é bom pedalar assim!
Calçada compartilhada - outra boa estrutura
Paraciclo público - agora sim!


Sinal para pedestres e ciclistas - segurança
Brasil? Sim, temos paraciclos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário