31 de mai de 2011

No rádio, Dilma cobra de prefeitos a construção de ciclovias

30/05/2011 - 09h04
DE SÃO PAULO


Ao comentar a entrega de 30 mil bicicletas para alunos de escolas públicas na semana passada, a presidente Dilma Rousseff citou nesta segunda-feira a possibilidade de criação do que chamou de cultura do ciclismo no país.

Em seu programa semanal de rádio "Café com a Presidenta", ela cobrou de prefeitos a construção de ciclovias que deem segurança aos estudantes.

As bicicletas foram doadas a prefeituras de 81 municípios brasileiros, para crianças que moram longe das escolas, como parte do programa Caminho da Escola. Até o final de 2011, a distribuição deverá chegar a 100 mil bicicletas e 100 mil capacetes para 300 municípios do país.

"É um meio de transporte que não polui e ainda permite a prática de uma atividade física. Ir para a escola de bicicleta é uma atividade saudável. Agora, tem que ter segurança", disse. "Se as prefeituras adotarem essa prática, construindo ciclovias, eu tenho certeza que veremos muitas outras bicicletas circulando pelas ruas, e não apenas as do governo", completou.

Sobre o compromisso de construir 138 creches e 454 quadras esportivas escolares ainda este ano, Dilma avaliou que, para que o país dê um salto de qualidade na educação, é preciso melhorar a estrutura dos colégios. "Isso inclui oferecermos boas condições para os nossos alunos frequentarem as escolas", explicou.

A construção das creches em 83 municípios totaliza investimentos de R$ 154,3 milhões. Já as quadras esportivas beneficiarão 249 municípios e estão orçadas em R$ 216,9 milhões.

As estruturas serão construídas com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2) e a iniciativa faz parte do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância).

Link para a matéria da Folha.com aqui, com o áudio do programa.

30 de mai de 2011

Falta capricho!

O que pode estar faltando para Ponta Grossa ser uma cidade melhor? Falta capricho...
Rotatória do Terminal de Uvaranas
Qual será o problema? Donde vem esta falta de capricho com a cidade?

Isso não é um problema apenas de alguns pontos isolados; isso parece ser uma atitude de descaso e desrespeito com as necessidades da população. Qualidade de vida é a experiência contínua das condições necessárias para os habitantes de uma cidade. Sem contar as filas da saúde, filas dos serviços públicos, etc., quando a pessoa que vai em direção ao terminal de ônibus ainda tem que passar por um lugar desses - em uma via das mais importantes da cidade! - a qualidade de vida "já era" há muito tempo. Imagine um dia de chuva e com ônibus, caminhões e motos por perto.

O que leva o poder público a agir com tamanho desrespeito à população?

27 de mai de 2011

Manifestação ciclística 4 de junho

Dia 4 de junho, vamos participar juntos de uma manifestação ciclística "a favor da proteção ao meio amabiente e por uma cidade mais amiga da bicicleta".

Por que "a favor do meio ambiente" e não "contra a agressão ao meio ambiente"? É uma boa pergunta! A visão do Movimento ProCicloviasPG é que nossas ações devem ser engajadas, positivas e de uma maneira geral, construtivas. A única coisa que queremos destruir são os paradigmas que nos atrelam a antigos padrões de visão e que nos impedem de usufruir a totalidade do que a cidade poderia oferecer.

Porém, nossa atitude não é "contra" alguma coisa, mas sim "a favor" do que acreditamos. Pensamos que assim conseguiremos mais adeptos e que aqueles que quiserem se juntar a nós não terão com o que se preocupar pois não estamos contra ninguém - nem que seja o mais obtuso dos políticos ou o mais conservador dos cidadãos. Se eles também quiserem fazer parte do Movimento, serão muito  bem vindos. Porém, aqui eles terão que ser engajados, positivos e construtivos!

E se eles são bem vindos, imgaine você - caro leitor! :)

Agora, a programação: Será um passeio diferente dos anteriores pois distribuiremos mudas de árvores aos interessados e a concentração irá começar mais cedo que o nornal - 8:30 h. Será uma celebração a favor do meio ambiente, sempre com o tema da mobilidade por bicicletas puxando o refrão. Será alegre, pois trabalhar de maneira positiva e construtiva trás benefícios a todos. Abaixo o cartaz do evento. Se você quiser o PDF para imprimir e colocar no seu local de trabalho, fique à vontade para solicitar por email.


16 de mai de 2011

Fazer ou não fazer (ciclovia). Eis a questão!


Abaixo uma boa matéria do CQC que trata da bicicleta como meio de transporte.

ProCicloviasPG faz pronunciamento em ‘sessão itinerante’

O Movimento ProCicloviasPG obteve permissão para pronunciamento público durante sessão da Assembleia Legislativa do Paraná em Ponta Grossa ontem dia 11/05, como parte do evento de interiorização da Assembleia, a "sessão itinerante".

Assembleia Legislativa em PG: 26 deputados estaduais

Nosso pronunciamento não estava na pauta do dia, mas agrademos os deputados estaduais e vereadores de Ponta Grossa que se sensibilizaram com nossos insistentes pedidos e intercederam junto à presidência da mesa para obter a permissão. Além do pronunciamento, deixamos com cada deputado um documento que apresenta o Movimento ProCicloviasPG, nossas reivindicações e um que pede o compromisso de cada um deles com projetos que permitam a implantação de uma estrutura cicloviária em nossa cidade.

No pronunciamento, nossas reivindicações foram as costumeiras: estrutura cicloviária em Ponta Grossa, investimento responsável dos recursos públicos, alerta para a questão da segurança no trânsito.

Ver matéria no Diário dos Campos.

Se houver qualquer indicativo de ação dos nossos parlamentares em relação à questão de mobilidade urbana em nossa cidade, especialmente no que se refere ao uso da bicicleta, estaremos postando aqui.

11 de mai de 2011

ONU Declara 2011-2020 a “Década da Ação para Segurança Viária”

Entendemos que a questão da melhoria do trânsito (ou da "segurança no trânsito") está muito ligada a um programa permanente de educação de trânsito. Em nossas conversas temos encontrado muitas pessoas que alegam que "o ciclista de Ponta Grossa é indisciplinado", comete barbaridades nas ruas e essa é a causa dos acidentes com bicicletas; ou então que "o Brasil não tem cultura de trânsito suficiente"; ou que “Ponta Grossa (ao contrário de Joinville, SC - por exemplo) não tem uma tradição de uso da bicicleta"; ou ainda, aquela que eu (pessoalmente) considero a mais desinformada de todas, que "o motorista no Brasil não respeita mesmo..."

Bem, sem dúvida, o brasileiro médio comete muitas infrações de trânsito. E quanto maior é o carro, maiores são as infrações. Agora, dizer que isso é inato do brasileiro (ou do pontagrossense) e que não vai mudar, é uma afronta a qualquer sistema educacional e pedagógico já criado no mundo!

Como se altera um comportamento? Criando condições para que o comportamento alternativo, dito "correto", traga mais benefícios à pessoa que o comportamento dito "errado". Enquanto o comportamento "errado" parecer mais conveniente e as consequências do comportamento "errado" não forem sentidas ou ensinadas para as pessoas, o comportamento "errado" sempre será a escolha, porque será mais conveninte - e as pessoas gostam de conveniência. E como se mostra para as pessoas as consequências do comportamento "errado" e se ensina o comportamento “correto" no trânsito? Através de um sistema permanente de educação de trânsito, incluído em todos os níveis da grade curricular: da pré-escola à universidade. Claro, o melhor complemento para um bom sistema de educação de trânsito é um sistema sério de aplicação de multas de trânsito para as infrações cometidas (legislação já temos de sobra...). Assim iremos mostrar aos motoristas, motociclistas, e ciclistas, que seguir as leis de trânsito é muito melhor para o bolso e para a saúde. Enquanto não houver seriedade na aplicação das multas e o sistema educacional for falho (como o é atualmente) o Brasil continuará tendo quatro vezes o índice de mortes no trânsito que os países industrializados - e não haverá acordo comercial, obra grandiosa ou copa do mundo que limpe essa mancha.

Em relação ao trânsito de bicicletas, temos um código nacional de trânsito e outras leis e regulamentações que determinam que as vias públicas devem ter estruturas - nós chamamos de estruturas cicloviárias - que acomodem as necessidades dos ciclistas. Está na lei que o motorista de veículos maiores deverá zelar pela segurança dos veículos menores. Também é lei a distância que o motorista dos veículos automotores (automóveis, ônibus, caminhões - e motos) devem manter dos ciclistas: 1,5 metro. Eu sinceramente "vou esperar sentado" que os motoristas tenham condições de manter 1 metro e meio da minha bicicleta se eu resolver andar na rua XV de Novembro, Visconde de Mauá, Carlos Cavalcanti, Vicente Machado, Balduíno Taques, Souza Naves, e por aí vai, porque infelizmente estas vias existem não para "acomodar as necessidades dos ciclistas" mas sim para criar conflitos entres os ciclistas e os veículos motorizados; e há um lei da física que diz que "dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo" e o resultado é que os ciclistas, ao serem "abatidos" por veículos maiores, acabam comprovando a veracidade desta lei da física - que por não ter sido criada pelo Congresso, Assembleia ou Câmara é sempre válida e aplicada a quem a desafia.

E ainda, quando o motorista, motociclista, ciclista ou pedestre se torna parte das estatísticas de acidentes de trânsito, então é tarde demais para se fazer algo. Só resta chamar o SIATE - ou pior, o IML - e o poder público (a população...) acaba pagando mais esta conta.


Obs.: A imagem diz "não foi acidente", porque consideramos que a situação de pesosas dirigirem automóveis, sem educação de trânsito nem punição das infrações, é como uma arma carregada - eventualmente alguém irá apertar o gatilho.

Cloter 

10 de mai de 2011

ProCicloviasPG é "UEPG mais Energia"

O Movimento ProCicloviasPG estará no evento "UEPG mais Energia - um festival de saúde" promovido pela UEPG e voltado para estimular atividades  e comportamentos relacionados à saúde da população.

Como descrito no portal da UEPG, "O “UEPG + Energia” é desenvolvido pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), através do Centro de Desportos e Recreação (CDR). A primeira etapa foi realizada em 10 de abril último, no Campus Universitário de Uvaranas, com atividades abertas à população de todas as idades e participação de professores e acadêmicos dos cursos do Setor de Ciências Biológicas e da Saúde (Educação Física, Odontologia, Farmácia, Enfermagem, Medicina e Ciências Biológicas). O projeto oportuniza aos ponta-grossenses o acesso ao esporte, ao lazer e os serviços preventivos de saúde."

Iremos participar em todas as etapas previstas até o final do ano - para todas as datas ver aba Agenda.

No evento, iremos abordar os temas: 
  • Saúde: divulgar os benefícios que o uso da bicicleta traz para a saúde
  • Educação de trânsito: informações para os motoristas de veículos motorizados e para os ciclistas 

Venha e participe, pois assim estaremos dando mais força às nossas reivindicações - ver aba Quem Somos.

Banner criado para a participação no evento:

9 de mai de 2011

Reitor da UEPG apoia o ProCicloviasPG

Hoje tivemos uma reunião com o Reitor da UEPG, o Prof. João Carlos Gomes. Nesta reunião pudemos expor nossos anseios, projetos e preocupações. O reitor então manifestou seu apoio ao Movimento ProCicloviasPG e  à mobilização por uma estrutura cicloviária na av.Carlos Cavalcanti. A página da UEPG apresenta matéria sobre a reunião - ver este link:

Esta notícia no Portal da UEPG e no Diário dos Campos.

Mais detalhes sobre nossa participação no programa "UEPG + Energia" seguirá em futuros posts.

Certos que temos ainda muito trabalho pela frente, agradecemos à UEPG e todos que vêm nos apoiando!

8 de mai de 2011

Manifestação ciclística do dia 07/05

Quem estava na Av. Vicente Machado sábado de manhã pode ouvir e ver uma manifestação ciclística amigável, porém barulhenta, reivindicando uma estrutura cicloviária em Ponta Grossa. Nossa grande paixão por essa causa tem sido superada apenas pelo acolhimento que temos recebido de todos os setores da sociedade - instituicional, empresarial, político e pessoas comuns! Veja algumas fotos da pedalada:

Final do passeio: des-concentração

Convite para a próxima pedalada
Agradecemos à AMTT que garantiu nossa segurança durante todo o trajeto. 

Definitivamente, vemos que a cidade está mais do que pronta para implantar um plano de mobilidade moderno e sabemos também que tal plano deverá oferecer aos ciclistas o que há muito tempo lhes tem sido negado, ou seja, uma estrutura cicloviária segura, acessível e útil, para que todos que queiram possam usar bicicletas para se locomover na cidade com segurança e rapidez. Os benefícios do uso da bicicleta são muitos:
  • Melhoria da saúde - exercício para quem pedala
  • Menor tempo de trajeto - para trajetos curtos e médios
  • Proteção ao meio-ambiente - diminuição da poluição
  • Economia de recursos - dinheiro e recursos naturais
  • Prática de cidadania - convivência pacífica na cidade
  • Melhora das condições do tráfego - cada ciclista é um carro a menos 
  • Diminuição do stress para motoristas profissionais - menos carros

Algumas das nossas reivindicações:
  • Ciclovias e/ou ciclofaixas nas principais vias de ligação da cidade
  • Bicicletários nos terminais de ônibus
  • Bicicletários públicos próximos a pontos comerciais no centro e nos bairros
  • Bicicletários públicos nos pontos de interesse do centro e dos bairros 
  • Ciclovia recreativa nos domingos - fechamento de uma rua da cidade para uso de bicicletas e outros meios de transporte ativo
  • Projeto de urbanização e construção de ciclovias nas linhas de trens desativadas
  • Educação de trânsito para motoristas de veículos motorizados e para ciclistas

Convidamos todos que apoiam estas propostas para fazer parte do movimento. Participar é fácil (mais detalhes aqui):
  • Participe das bicicletadas
  • Assine o abaixo-assinado pela Ciclovia de Uvaranas aqui
  • Divulgue o movimento para amigos e familiares, encaminhe o endereço do blog
  • Ofereça sua ajuda para organizar os próximos eventos.

Nosso muito obrigado a todos que não mediram esforços e nos ajudaram até agora. Trabalhamos para que a cidade de Ponta Grossa se torne de verdade uma "cidade mais amiga da bicicleta - e dos ciclistas".

    5 de mai de 2011

    BICICLETADA DIA 7 DE MAIO - SÁBADO

    No dia 7 de maio, vamos participar juntos da bicicletada por um bom sistema cicloviário em Ponta Grossa e pelo direito de usar a bicicleta com segurança para transporte e lazer. A saída é do Parque Ambiental, bem em frente à entrada principal do Terminal Central às 9:00 horas da manhã.

    2 de mai de 2011

    Dica importante aos planejadores de trânsito

    Quando estiver num buraco, pare de cavar!
    Cavar, aqui, significa resolver os problemas de trânsito com mais trânsito - quando logicamente o que precisamos é diminuir a intensidade do trânsito. Veja no post abaixo, as soluções encontradas para a cidade do Rio de Janeiro, com problemas de mobilidade muito mais complexos que os de Ponta Grossa, mas que vem adotando soluções que vão além das paliativas e pontuais implantações de binários, rotatórias e outras que não resolvem o problema na sua causa.

    O trânsito pesado e as soluções



    Link para o site da Globo.

    Interessante é que São Paulo, Rio de Janeiro, Londres e Ponta Grossa tem mais ou menos os mesmos problemas de trânsito, que podem ser resumidos em uma causa-raiz principal: excesso de automóveis.

    E a solução que vem sendo adotada nestas cidades, e em muitas outras (ainda não em Ponta Grossa), é uma que parece exageradamente óbvia: diminuição do número de automóveis. Na verdade, o principal problema do trânsito não é sua fluidez, ou algum problema de infraestrutura; o principal problema de trânsito é o excesso de automóveis, que pode ser contornado pela diminuição do número de veículos - principalmente nos centros das cidades.

    Enquanto pensarmos no problema de trânsito como uma questão de satisfazer as necessidades de um número cada vez maior de carros, estaremos aumentando o grupo daqueles que são parte do problema, e não da solução. Jamais conseguiremos aumentar a infraestrutura proporcionalmente ao aumento do número de veículos. Isso é um fato bem conhecido por todos aqueles que trabalham com planejamento viário.

    Por outro lado, ainda temos um longo caminho até atingirmos um mínimo de adequação do trânsito em Ponta Grossa. Neste momento, nossa cidade tem uma oportunidade única para:
    • Melhorar a infraestrutura de mobilidade.
    • Diminuir o número de veículos de uso individual no centro da cidade.
    • Melhorar a qualidade do transporte coletivo. 
    • Estimular e educar para o uso de transportes ativos (bicicletas e outros).
    Por mobilidade entende-se não somente trânsito de automóveis, caminhões e ônibus, mas o verdadeiro propósito da malha viária de uma cidade: movimentação de pessoas.

    Afinal, as ruas existem porque as pessoas precisam delas. Os carros e outros meios passivos de transporte ficam muito bem, obrigado, em suas garagens - sem reclamar. Sim, precisamos de carros e de outros meios motorizados, porque muitas das nossas atividades exigem que sejamos levados para lá e para cá, assim como nossos objetos - isso faz parte da vida moderna. Porém, no caso do trânsito, uma atividade meio - o nosso transporte em algum veículo motorizado - se transformou em atividade fim - trânsito de carros - sem que isso tenha sido claramente percebido, nem pela população nem pelas autoridades. Devemos encarar o fato que o sistema viário, qualquer sistema viário em qualquer cidade do mundo, existe para atender o direito de ir e vir das pessoas.

    Iremos explorar este tema mais a fundo em posts futuros - por enquanto é isso.

    Saudações cicloviárias!