31 de out de 2011

Manifestação Ciclística 05/11

A próxima Manifestação Ciclística por uma estrutura cicloviária em Ponta Grossa será dia 05/11 às 9:30. Pedimos que todos compareçam na esquina da Av. Vicente Machado e Av. Benjamim Constant - que é a esquina do Parque Ambiental bem em frente ao terminal central.

Várias pessoas nos sugeriram fazer esse pedal de tarde, pois mais pessoas poderiam comparecer. Compreendemos que haveria mais pessoas, mas vamos colocar aqui nossos objetivos com esse pedal:
  1. Mostrar ao maior número de motoristas de automóiveis, ônbus, caminhões e motocicletas que o ciclista tem o direito de usar sua bicicleta nas vias públicas;
  2. Concientizar os ciclistas quanto aos seus direitos e também seus deveres em relação à legislação de trânsito no que se refere ao uso das bicicletas nas vias públicas;
  3. Exigir atenção das autoridades para a situação de perigo que os ciclistas de Ponta Grossa enfrentam nas ruas da nossa cidade;
  4. Manter essa discussão bem acesa na cidade;
  5. Obter divulgação das nossas reivindicações na imprensa.
Assim, para atingir o maior número de pessoas, o melhor horário é mesmo sábado de manhã próximo do horário do almoço quando muitas pessoas se dirigem ao centro da cidade para suas compras e outras atividades.

Vamos OCUPAR nosso lugar no trânsito!
Aguardamos todos lá e saudações cicloviárias. Aqui, o cartaz em PDF.

22 de out de 2011

Pedal Volta Leste - Treino de 1 hora


Rota de bicicleta 1309569 - powered by Bikemap 

- para manter a forma :)

18 de out de 2011

Não tente fazer isso ...

Pedal Noturno

O ProCicloviasPG divulga o Pedal Noturno idealizado por amigos e apoiadores do Movimento. Será nas quintas e terças feiras saindo do Parque Ambiental com concentração às 19:00 e saída às 19:30. Veja o banner abaixo:

"Sobrevivendo na selva motorizada"

Por André Geraldo Soares

O que desejamos, nós leitores dessa revista, é que o mundo seja seguramente ciclável. O mundo, não somente os aglomerados urbanos, não somente este país: quem acha que a bicicleta "é do bem", não deve desejá-la para todos? Seguramente, porque em quase toda estrada, pavimentada ou não, é possível passar com uma bicicleta, mas na maior parte delas essa ação deve ser avaliada em uma escala que vai do "um pouco arriscado" ao "extremamente perigoso".

Essa avaliação leva em consideração a experiência, a destreza e a capacidade física do pedalante; o tipo, a qualidade e a condição mecânica da bicicleta; a quantidade e a velocidade de veículos motorizados e o respeito dos seus condutores; e, é claro, a infraestrutura para a segurança do ciclista adequada às características da via pública.

Resumindo: não se pode insuflar qualquer um a pedalar em qualquer lugar de qualquer modo com qualquer bicicleta... Para ser bem honesto, junto com o desfile dos benefícios do pedalar, o cicloentusiasta precisa passar algumas recomendações para o cicloiniciante. Uma vez que não é difícil vermos cicloveteranos fazendo barbaridades com a magrela, não podemos admitir que somente a quantidade de horas de pedal habilita qualquer um a ser orientador do uso seguro da bicicleta.

Existem vários textos, manuais, panfletos, de diversas qualidades, contendo tais recomendações, por isso não cabe a este artigo elencá-las. Advirta-se apenas que é preciso tomar cuidado com certos materiais, muitos deles oriundos de órgãos de trânsito, que parecem tratar de um imaginário mundo cheio de ciclovias e de faixas de pedestres e que só servem para limpar a consciência dos carrocratas que os escreveram. Por isso o mais acertado é buscar informações com aqueles que pedalam, dentre os quais encontramos, disponíveis na internet, a Escola de Bicicleta e o Vá de Bike. Faça sua pesquisa.

Para chegar inteiro ao destino e ao mesmo tempo sentir prazer ao pedalar é bom escolher uma bicicleta adequada ao seu tamanho e aos seus propósitos, mantê-la em boas condições, dotá-la de uma sinetinha, de refletores e de luzes para o uso noturno; portar um capacete - e quem sabe vestir um par de luvas - para aumentar a sensação de segurança; usar roupas claras e confortáveis, que conferem mais visibilidade e liberdade aos movimentos; e, é claro, escolher as ruas menos movimentadas, pedalar no sentido do tráfego ("pela mão"), estar atento às manobras alheias e sinalizar as próprias.

Preocupar-se consigo próprio é fundamental quando se está no trânsito, mas insuficiente se a intenção é que um dia possamos pedalar mais relaxados. É preciso considerar os aspectos sociais do ato de pedalar para criarmos condições de que mais pessoas possam aproveitar a bicicleta e, com isso, humanizar as relações no trânsito e tornar o ar mais respirável. Pois do jeito que está, todos sabemos, a bicicleta é para poucos.

Em primeiro lugar, conhecer, respeitar e exigir o cumprimento da legislação - os direitos e deveres de todos os veículos em via pública. A bicicleta tem prioridade no trânsito - leia o Código de Trânsito Brasileiro -; portanto, se o Estado não obriga o cumprimento da lei, educada mas firmemente temos que fazer os motoristas compartilharem a via pública com os ciclistas.

Isso se consegue no próprio trânsito, pedalando - para demonstrar que a bicicleta é viável e para atrair mais pessoas para a modalidade -, sempre mantendo atitude responsável e com dignidade em relação aos demais veículos, mas também, sempre que possível - e, não nos iludamos, tem que ser possível -, fora dele. É a organização dos próprios ciclistas que tem introduzido o debate na sociedade, mas o debate ora acumulado ainda está longe de se tornar reforma infraestrutural, programa educativo ou prisão para os criminosos de trânsito. Trata-se, ainda, tão somente, pelo status quo, de uma concessão mínima de direitos. O ordenamento jurídico, a pressão das corporações e o confortável privilégio do indivíduo compõem uma estrutura firme, que não cederá facilmente à formosura e à economia barata da bicicleta.

O trânsito ainda é regido pela lei do mais forte, tal como acontece na selva (sem entrar no mérito do antropocentrismo dessa comparação). Se o que queremos é mais do que competir na selva, não resta outra saída senão comportar-nos como civilizados que dizemos que somos capazes de ser: refletir, dialogar, decidir e agir coletivamente pelo bem comum, usando, para isso, os espaços democráticos disponíveis, mas cientes de que tantos outros espaços - o parlamento, as secretarias de obras e de planejamento etc.- precisam ser democratizados para que a rua seja "des-selvagizada".

Ciclofaixa foi a semente da transformação em Bogotá

Entrevista com ex-prefeito de Bogotá/Colômbia sobre a humanização das cidades e prioridade aos ciclistas e pedestres, concedida durante a visita do mesmo à Ciclofaixa de São Paulo em Dez/09. Reportagem de Renata Falzoni para a ESPN.

15 de out de 2011

Sustentabilidade - Apresentando o VLT

UMA BICICLETA, UM CARRO A MENOS
UMA FERROVIA, UM MILHÃO DE CAMINHÕES A MENOS
UM VLT, MUITOS CARROS E ÔNIBUS A MENOS

Passeio ciclístico 30/10

Passeio ciclístico e caminhada orientada
Data: 30/10 (domingo)
Promoção: 6º Período Faculdade Santana (Curso de Educação Física)

Clique

14 de out de 2011

Ciclovia (nos Estados Unidos) = Ciclovia Recreativa




"Algumas vezes é mais fácil não fazer nada; se você não fizer nada, ninguém reclama - mas eles estão fazendo algo"

Bicicletários

Um pouco de vontade e...

Passeio ciclístico ecológico IAPAR - Primavera 2011

ampliar
O IAPAR convida todos para participar do já tradicional Passeio Ciclístico Ecológico da Primavera a ser realizado na trilha ecológica do IAPAR dia 19/11/2011.

O último evento no IAPAR contou com mais de 70 ciclistas que puderam pedalar na trilha em meio à exuberante beleza da mata natural da nossa região, com o dedicado apoio dos monitores do IAPAR e ProCicloviasPG.

O objetivo do IAPAR é compartilhar esta área natural com ciclistas, famílias e amigos que gostam de pedar junto à natureza. A cada edição o evento ganha mais adeptos e todos saem perguntando da próxima data. Abaixo, uma imagem do cartaz. Clicando neste link você poderá baixar o PDF para imprimir e colocar no seu local de trabalho ou estudo. Veja fotos dos eventos anteriores aqui e aqui. Venha celebrar a natureza e pedalar conosco!


13 de out de 2011

Humor - Terceirização/Globalização

Clique para ampliar
Original

Pato Branco - Bicicleta, mesmo com "topografia desfavorável"

As fotos abaixo mostram um passeio ciclístico promovido pela prefeitura de Pato Branco. As fotos seguintes mostram vários trajetos dentro de Pato Branco e sua topografia, fortemente acidentada. Para comparação, incluímos um mapa de um trajeto proposto para ciclovia em Ponta Grossa, do campus da UEPG em Uvaranas até a Bungue Alimentos próximo ao trevo do Vendrami (entrada sul da cidade).

Não é difícil perceber que o argumento da "topografia desfavorável" não está impedindo a prefeitura de Pato Branco de promover o uso da bicicleta.

Pensamos que este argumento vem sendo constantemente repetido em Ponta Grossa até que a população passe a acreditar nele. Como disse um certo propagandista durante a segunda guerra "uma mentira repetida milhares de vezes, torna-se uma verdade".

Vamos rejeitar esse argumento. Ponta Grossa tem potencial para ciclovias. É uma questão do poder público parar de evitar o assunto e mostrar um pouco de vontade em atender as reivindicações da população e aumentar a segurança para nossos ciclistas.

Agora, as fotos.



Observe a declividade desta rua



Observe a declividade desta rua

Observe a declividade desta rua







Agora observe os mapas abaixo com vários trajetos cortanto a cidade de Pato Branco. Observe que Pato Branco é uma cidade de relevo muito acidentado, como Ponta Grossa.

Observe no quadro a grande declividade do trajeto - link

Observar a declividade no quadro - link

Observar a declividade no quadro - link

Agora um mapa, com relevo, da proposta de trajeto de uma ciclovia do campus da UEPG (Jardim Paraíso) em Uvaranas até a Bungue Alimentos no Vendrami, passando pelas seguintes ruas: Saída Jardim Paraíso, Av Carlos Cavalcanti, Av Bispo Dom Geraldo Pelanda, Parque Ambiental, R Benjamim Constant, Av Silva Jardim, Av dos Vereadores, Linha Férrea desativada até a Bungue Alimentos. Observe que o trajeto é muito plano porque segue o leito da antiga linha férrea praticamente em toda sua extensão de 12km.

Observe a extensão de 12km - link
A conclusão é que em Pato Branco a prefeitura resolveu estimular o uso de bicicleta, apesar do terreno acidentado. A população parece que não vê nisso um problema e levou suas bicicletas para as ruas.

12 de out de 2011

Novo veículo para cadeirantes em PG (ver Obs. no final)

O ProCicloviasPG caminhou pela cidade hoje e, devido ao estado das calçadas, pensamos que o veículo da foto abaixo pode ser útil aos cadeirantes:
Veículo fora de estrada 50cc - ver Obs. no final do artigo
O poder público (prefeitura) poderia abrir uma linha de crédito aos cadeirantes para que cada um adquira o seu e assim possa transitar com mais segurança pela cidade. Sugerimos isso por causa do estado de muitas calçadas na cidade, neste caso a calçada em frente a um grande terreno na R. Dr. Paula Xavier, a poucas quadras da Av. Vicente Machado:
O terreno é usado para anuncios...

... onde as plantas crescem sem controle ...

... buracos podem conter animais ...

... a calçada está em péssimo estado ...

... um perigo real a todos ...

... obras inacabadas ...

... e a prefeitura parece não fiscalizar

Obs.: O uso de veículo fora de estrada não é permitido nas ruas da cidade, muito menos nas calçadas. O comentário foi utilizado aqui apenas para ilustrar a crítica e estabelecer a dificuldade dos cadeirantes em Ponta Grossa.

11 de out de 2011

Diário dos Campos: Movimento propõe rotas para bicicletas

Luciana Almeida

Em alguns pontos da cidade, já há áreas destinadas a ciclistas

















O Movimento Pró-ciclovias de Ponta Grossa está propondo, através do site, www.bikemap.net, a participação da comunidade no envio de sugestões sobre rotas para a construção de ciclovias. As propostas, ainda este ano, serão encaminhadas à Secretaria Municipal de Planejamento. A ideia é garantir incentivo à utilização de meios de transporte alternativos no município.

“Ao longo de diversos debates desenvolvidos, concluímos que as rotas alternativas têm que atender aos trabalhadores. Assim, estamos desenvolvendo projetos de rotas para bicicletas para que, futuramente, ciclovias possam ser construídas”, explica Cloter Migliorini Filho, do Movimento Pró-ciclovias. Os mapas já existentes podem ser consultados por qualquer pessoa. “Inclusive é possível verificar, nesses mapas, se nas rotas há subidas ou descidas, por exemplo”.

De acordo com ele, objetivo é garantir que essas rotas alternativas estejam integradas com o sistema de transporte coletivo. “Claro que não adianta construir ciclovias em vias em que há subida muito íngreme, mas há ruas em que as ciclovias são possíveis, como a Avenida Carlos Cavalcanti, Avenida Souza Naves e Ernesto Vilela, por exemplo”.

Migliorini Filho comenta que até, o final deste ano, todas as rotas – transformadas em projetos – serão encaminhadas à Secretaria de Planejamento. “Já temos alguns profissionais que se prontificaram a desenvolver esses projetos. Nosso objetivo é garantir que as mudanças que devem ser aplicadas no trânsito de nossa cidade também contemplem o incentivo ao uso da bicicleta, através da existência de ciclovias”. (L.A.)

Fonte: Diário dos Campos, 11/10/2011 (link)

10 de out de 2011

ProMobilidadePG: Revitalização do centro de PG

ProMobilidadePG: Revitalização do centro de PG: Nossas propostas para a revitalização do centro de Ponta Grossa. Visualizar Calçadões em um mapa maior. Clique nas linhas coloridas par...

3 de out de 2011

ProMobilidadePG: Literatura sobre mobilidade com bicicleta

ProMobilidadePG: Literatura sobre mobilidade com bicicleta: Amigos, Abaixo alguns links (e seus conteúdos) com materiais que formam excelente base para nossas discussões. Criaremos um espaço...

Escola de Bicicleta

"O site Escola de Bicicleta é formado por textos distribuídos em capítulos, como num livro. Seu conteúdo segue uma ordem que possibilita ao leitor uma evolução gradativa em sua cultura ciclística. Qualquer dúvida, entre em contato enviando sua mensagem. Bom giro!"

Clique

Promoção mobilidade ciclística

Vídeos sobre "Promoção mobilidade ciclística no Paraná em Sta Catarina" são educativos e servem de exemplo para o que se pode fazer sobre a questão de mobilidade. Podemos ver que as soluções ambientalmente corretas exigem um certo esforço, mas valem a pena. Este programa surge da forte iniciativa do governo do estado que fomenta políticas públicas para o uso da bicicleta em SC.





2 de out de 2011

Ponta Grossa democrática ...

... governo do povo, pelo povo e para o povo.
    

Próximas atividades - atualização

Um apoiador indagou por email o porquê de sugerirmos a participação apenas de adultos nas próximas manifestações ciclísticas. Ao que respondemos:

"Recentemente fomos informados pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes que talvez não possamos mais contar mais com a escolta (da AMTT) durante nossas manifestações ciclísticas. Isso cria a difícil situação onde menores e/ou crianças poderiam ser envolvidos em algum acidente de trânsito, e a responsabilidade pelo ocorrido poderia ser atribuída ao Movimento. Como já temos feito, continuaremos tomando todos os cuidados para não expor nenhum participante a nenhum risco desnecessário, porém a possibilidade de acidente não é nula - a possibilidade de acidente nunca é nula para usuários do sistema de transporte, e isso deve ser bem compreendido por todos.

Podemos garantir que iremos obedecer todas as leis de trânsito e promover um pedal seguro para todos, porém consideramos que seja melhor a participação apenas de adultos que possam se responsabilizar totalmente pela decisão de pedalar conosco. Aqueles que quiserem apenas um local seguro para peladar podem participar do Pedala Ponta Grossa, como foi explicado no email original. Menores poderão participar desde que acompanhados por pais ou responsáveis.

Esperamos que a nossa posição tenha sido explicada para sua satisfação, e se houver alguma dúvida ou questionamento, fique à vontade para enviar email ou mesmo comentar no facebook ou blog. Nós do ProCicloviasPG consideramos válidas todas as opiniões dos apoiadores.

Obrigado,"


Fique  à vontade para qualquer outro questionamento e comentário. Um ótimo pedal a todos, e nossas costumeiras 'saudações cicloativistas'.

p.s.: é uma selva lá fora, cuidado!
 
Fonte: aqui