1 de out de 2018

Mobilidade urbana em Ponta Grossa - Atualização em 01/10/2018


O Problema da remoção das vagas de estacionamento

Quando se removem as vagas de estacionamento os pedestres ficam mais inseguros na calçadas, porque estão em contato direto com os carros. Por exemplo, é muito mais seguro e confortável caminhar na calçada da Vicente Machado e na Bonifácio Vilela do que é caminhar na calçada da Rua do Rosário.

Remover as vagas de estacionamento é um dos piores paliativos para o problema do excesso de automóveis nas vias. Chegar a esse ponto revela que todo o planejamento anterior falhou e não foram feitos os investimentos adequados para criar uma cidade para pessoas e não uma cidade para automóveis, ônibus e caminhões e nesse momento há desespero dos administradores públicos para resolver os problemas agudos que o excesso de automóveis cria para a cidade.

1) É necessário mais esforço para criar alternativas para as principais vias de PG.
  • Ernesto Vilela, OK (mão dupla, com canteiro) - alternativas são trechos interrompidos
  • Carlos Cavalcanti, não OK (mão dupla, sem canteiro) - alternativas são trechos interrompidos
  • Visconde de Mauá, parcialmente OK (mão dupla, com canteiro) - não há alternativas práticas
  • Monteiro Lobato, não OK (mão dupla, sem canteiro) - não há alternativas práticas
  • Visconde de Taunay, não OK (mão dupla, com canteiro) - não há alternativas práticas
  • Balduíno Taques, não OK. Muito larga, possibilita rápido avanço de uma grande quantidade de carros até o centro e depois, a partir da Vicente Machado, a Balduíno Taques é bem mais estreita e dificulta a saída do centro.
  • Paula Xavier, OK. Estreita e lenta, como deveria ser uma via de acessoa o centro.
x

Com alternativas para acesso rápido (vias rápidas) algumas ruas seriam mantidas com estacionamentos em seu formato original nos dois lados da via, o que proporciona mais segurança para os pedestres e acesso mais confortável ao comércio local.

2) As vias com pistas na direção do centro devem ser mais estreitas e intencionalmente mais lentas, para tornar menos atrativo dirigir na direção do centro. Mais lombadas, mais semáforos, semáforos com tempos mais longos, etc.

As vias que saem do centro devem ser mais largas e mais rápidas, para que os carros e ônibus possam rapidamente desafogar o centro. Deve ser evitado, a todo custo, a instalação de lombadas e excesso de semáforos em uma via que sai do centro.

3) Ônibus deveriam circular em vias especiais, canaletas ou tartarugas para separar as vias de ônibus das vias de automóveis.